Estrutura do AO


ESTRUTURA GERAL DO APOSTOLADO DA ORAÇÃO
Internacional | Nacional | Diocesana | Local

1. Internacional

A estrutura do Apostolado da Oração é muito simples. O Responsável Geral em todo o mundo é o Superior Geral da Companhia de Jesus, que nomeia um Delegado Internacional para o ajudar neste serviço e o representar.

2. Nacional

O Padre Geral nomeia, em nome da Igreja e por delegação do Papa, um responsável do Apostolado da Oração em cada país, que é o Secretário Nacional. Este deve promover no país o Apostolado da Oração, dinamizar, publicar subsídios que ajudem o Apostolado da Oração a renovar-se e a crescer mais e mais. Apoia e acompanha o trabalho dos Diretores Diocesanos. É ele o Diretor da revista Mensageiro, órgão oficial do Apostolado da Oração.

3. Diocesana

Em cada diocese, há um Diretor Diocesano, nomeado pelo bispo diocesano, que tem o encargo de dinamizar o Apostolado da Oração na diocese, promover encontros formativos, visitar os Centros, ajudar os párocos e suas equipes e levar por diante esta Obra. Em muitas dioceses, incluindo a Diocese de Cajazeiras, há uma Comissão/Equipe Diocesana, composta por leigos e religiosos, que ajudam o Diretor Diocesano no seu trabalho.

4. Local

Em cada paróquia, tendo como Diretor o pároco, há um Centro, composto pelo conjunto dos Zeladores e dos Associados, com uma direção paroquial. A sua missão é empenhar-se em fomentar o Apostolado da Oração na paróquia, promover o culto ao Coração de Jesus, fomentar a oração em todos os sectores da vida paroquial, etc.
Esta pequena equipa paroquial, com os zeladores, deve reunir-se todos os meses para ler e estudar em comum os estatutos, as linhas da espiritualidade, a intenção do Papa para esse mês, para pensar os projetos a serem realizados no mês seguinte, avaliar como vai o trabalho do grupo e a ação do Apostolado da Oração na paróquia, etc.

ESTRUTURA DE UM CENTRO PAROQUIAL/LOCAL DO AO


Um Centro Local do AO é formado de Diretoria, Corpo de Zeladores, Associados, Ouvintes e Famílias Zeladas.

A Diretoria

1. As atribuições da Diretoria de um Centro do AO são as mesmas de Diretorias de qualquer outra organização.
2. Condições: os membros da Diretoria geralmente são homens ou mulheres eleitos(a) entre os Zeladores. Não existe idade mínima ou máxima para participar de qualquer um dos cargos da Diretoria e o tempo de inscrição no Apostolado da Oração também não necessariamente precisa ser levado em conta, pois há pessoas que em pouco tempo adquirem as habilidades necessárias para o desempenho das funções.
3. Tempo de permanência: deverá ser de três anos, podendo ser renovados ou não por mais três anos. Deve-se renovar a Diretoria, ou pelo menos trocar o Presidente, a cada seis anos, para que se renove também o espírito do grupo. Não é conveniente um tempo muito longo com a mesma Diretoria. Contudo, não será possível mudanças, se não houver quem assuma com seriedade e interesse. Por este motivo, é aconselhável que o próprio Presidente (e também os membros da Diretoria) prepare líderes para substituí-lo, chegado o momento, conscientizando-os da seriedade dessa missão: é um compromisso com Cristo! É um compromisso com nossa fé e com a Santa Igreja! Uma maneira aconselhável para despertar líderes é o trabalho em equipe, com a distribuição de funções de acordo com as habilidades de cada um. A Presidente e a Diretoria nunca devem atuar decidir e fazer tudo sozinhos.

O Diretor Local

Normalmente é o Pároco/ Administrador Paroquial, ou alguém nomeado por ele, Sacerdote, Religioso ou Religiosa. Acompanha o grupo promovendo sua formação espiritual e apostólica bem como sua participação e entrosamento nas necessidades pastorais da Comunidade. Dirige as reuniões e celebrações. Incentiva a expansão do AO, com a fundação de Centros em Capelas, Colégios e Institutos da área paroquial sob sua administração.

Presidente

1. É uma pessoa, homem ou mulher, eleito(a) entre os Zeladores.
2. Deve ter espírito de liderança e capacidade de trabalhar em grupo e piedade, sendo capaz de unir o grupo, tratando a todos com igualdade, respeito e carinho.
3. Esta função dá a autoridade para coordenar o grupo, trabalhar em conjunto com todos para que o Centro ande bem, distribuindo as funções ou trabalhos entre todos, sempre atento às atividades especificas do Apostolado, em união com o Pároco/Administrador Paroquial ou o Diretor nomeado por este, demais membros da Diretoria e demais membros do Centro, planejando, organizando as reuniões mensais, horas santas, retiros anuais, celebrações, festas e todas as ações ligadas ao Apostolado da Oração.
4. Deve estar atento para que tudo esteja em sintonia com o Calendário Paroquial e Diocesano.
5. O Presidente deve procurar despertar em todos os membros muito entusiasmo para atuarem como apóstolos na comunidade paroquial, cuidando sempre dos interesses do Coração de Jesus, ou seja, a glória de Deus e a salvação dos irmãos.
6. Deve tomar todas as providências para o grupo funcionar bem.

Vice-presidente

Deve ter as mesmas características daquilo que é exigido ao Presidente. Deve substituir o Presidente em sua ausência, procurando atuar sempre junto a ele.

Secretaria

1. Função dos secretários(as): lavrar as atas, fazer a chamada, organizar o registro dos Associados e cuidar das correspondências do seu Centro do Apostolado da Oração.
2. Todo Centro do Apostolado de Oração deve ter: 
a) Um Livro de Atas – o Secretário é responsável pelas anotações no Livro de Atas das reuniões. Todas as anotações devem ser feitas no rascunho e depois repassadas no livro oficial, para evitar rasuras; 
b) Um Livro de Chamada – contém a lista de todos os Associados, Zeladores e Ouvintes. É função do Secretário fazer, nas reuniões, a leitura da chamada dos Associados. Em Centros com muitos membros (mais de cem, por exemplo), onde a chamada poderá tomar muito tempo da reunião, o ideal é que exista um Livro de Assinaturas, contendo um cabeçalho da data da Reunião, onde os presentes assinarão (ou alguém escreve o nome do Associado) para que depois seja registrado pelo Secretário, no Livro de Chamada, a presença do Associado(a); 
c) Um Livro de Registro das pessoas associadas – deve conter pelo menos o nome, data de nascimento e endereço de cada Associado e Zelador.

Tesouraria

1. O Tesoureiro cuida da parte financeira do Apostolado.
2. Deverá ter um Livro-Caixa para registrar as contribuições mensais dos associados (as), coletas da reunião mensal, coletas das Missas da Primeira Sexta-feira do mês (onde forem destinadas ao AO), doações espontâneas, enfim, todo o movimento financeiro do Centro.
3. As contribuições deverão ser sempre espontâneas, devendo sempre levar em conta a situação social dos Associados.
4. O dinheiro deverá ser usado para cobrir as despesas do Apostolado da Oração, tais como: Bilhetes Mensais, Revista Mensageiro do Coração de Jesus, fitas para os Zeladores e Associados que não tenham como pagar, pagamento de espórtulas de Missa; despesas com eventos anuais, tais como retiro quaresmal, confraternização pascal e natalina, encontros de zonal, encontro diocesano, festas do Coração de Jesus e dos santos padroeiros; assistência aos pobres e necessitados da Comunidade; e despesas com viagens da Diretoria para as reuniões diocesanas. Antes de realizar despesas, o Tesoureiro deverá consultar a Diretoria, devendo arquivar todos os recibos e notas fiscais de todas as compras. Nenhum membro do grupo deverá utilizar o dinheiro em Caixa sem consultar a Diretoria.
5. Cada Centro deverá contribuir, dentro de suas possibilidades, com uma taxa para auxiliar as despesas da Comissão Diocesana do Apostolado da Oração.
6. Mensalmente deverá ser feita a prestação de contas a todos os associados na reunião mensal.
7. Anualmente, o Tesoureiro deverá prestar contas de todo o movimento financeiro ao Administrador Paroquial/Pároco.

Coordenador do MEJ

1. Deverá ser de preferência um jovem maior de 17 anos ou um adulto, Associado ou Zelador, com atuação no Apostolado da Oração e especialmente, com experiência e carisma para o trabalho com crianças e jovens. Deverá ser escolhido com aprovação do Diretor Local, chamado a coordenar as atividades do MEJ.
2. Funções: 
a) Escolhe, em comunhão com os assessores espirituais do MEJ, os componentes da equipe de coordenação/Diretoria do MEJ, se for o caso, e da equipe de monitores, cuidando de sua competente formação e oportuna motivação. 
b) É o responsável da caminhada normal do centro do MEJ de modo a propiciar aos mejistas viver os ideais do MEJ através das três etapas de crescimento. 
c) Convoca e coordena as reuniões das equipes e do centro do MEJ e faz a ponte deste com outras coordenações e com a Diretoria e membros do AO.

Zeladores e famílias zeladas

1. Ser Zelador do AO significa uma missão, a missão de promover o espírito apostólico, de zelar por um grupo, por um número de Associados e suas famílias.
2. O Zelador convida, visita, reúne, comunica os recados do AO, participa das reuniões de formação e anima seu grupo de Associados Zelados.
3. Geralmente, o tempo mínimo de caminhada para que alguém seja nomeado Zelador é de cinco anos ou mais. Porém, o Zelador deve ser escolhido entre os Associados mais ativos e compromissados com as celebrações e reuniões do AO e da paróquia, devendo ter espírito de liderança e de serviço e sobretudo amor ao Coração de Jesus e fidelidade ao Programa Espiritual e Apostólico do Apostolado da Oração. Para ser Zelador, é preciso antes ter uma participação ativa e exemplar no Centro.
4. O símbolo/sinal externo que identifica o Zelador é a fita larga, com Bentinho e Cruz-Medalha. No dia de sua consagração, o Zelador recebe o Diploma de Zelador, assinado pelo Diretor Local e pelo Diretor Diocesano.

Associados

1. Associados são todas as pessoas que fazem parte do AO e que já foram solenemente admitidos, ou seja, receberam a fita de Associado. Devem participar das atividades do Centro, auxiliando a Diretoria e os Zeladores, podendo assumir funções, de acordo com sua capacidade e habilidades.
2. Devem receber uma formação adequada para que possam, se for o caso, serem nomeados Zeladores, quando atingirem as qualidades e formação necessárias a um Zelador.
Recomenda-se um período de seis meses ou mais de caminhada junto ao Centro para que alguém seja admitido como Associado.
3. Antes disso, o candidato a Associado, chamado de Ouvinte, deverá receber uma formação sobre o Programa do Apostolado da Oração. Espiritual do AO, a devoção ao Coração de Jesus e o programa apostólico e pastoral do AO.
4. O símbolo/sinal externo que identifica o Associado é a fita estreita, com Bentinho oval e Medalha redonda. No dia de sua Admissão, o Associado recebe a Patente de Admissão, assinada pelo Diretor Local.

Ouvintes ou aspirantes

1. São todos aqueles que começaram a freqüentar as reuniões e eventos do AO e que estão se preparando para a sua Admissão, onde normalmente farão a sua consagração ao Coração de Jesus e receberão a Fita de Associado.
2. As pessoas que desejam se filiar ao Apostolado da Oração deverão ser bem acolhidos pela Diretoria que, de maneira bem evangélica, deverão ser orientados sobre o que é o Apostolado da Oração e sua missão na lgreja, bem como os compromissos decorrentes dos seus associados. Deverão ser motivados para participarem das Missas da Primeira Sexta Feira, Horas Santas e das reuniões mensais. Primeiramente deverão ser acolhidos como Associados, devendo ser encaminhados para a direção espiritual de um dos Zeladores do Centro Paroquial do Apostolado da Oração.
3. Deve-se observar, no período de preparação, a freqüência e o interesse dos candidatos, para que depois, já Associados, não desistam da sua missão.

Sem comentários:

Enviar um comentário